Gestão de T.I ineficiente: quanto custa para as empresas?

Gestão de T.I ineficiente: quanto custa para as empresas?

8 de novembro de 2018 BLOG 0

Gestão de T.I ineficiente: quanto custa para as empresas?

Imagine como é complexo mensurar a hora de um usuário parado por problemas no sistema, quanto custa o tempo usado em uma tarefa que foi perdida e não havia uma cópia de segurança, como medir se houve aumento ou não de produtividade da equipe depois da implantação de um projeto de melhoria da tecnologia. Seja na redução de despesas ou no aumento do faturamento, os executivos precisam ver, na prática, quais são os resultados que a T.I garante à empresa.

A tecnologia é parte essencial para as organizações. Administradores e empresários estão cientes dos estragos que pragas digitais e roubo de informações podem causar. Sabem também que é necessário investir em planejamento, ferramentas, sistemas e segurança da informação. Mas, quem toma as decisões no departamento de T.I e manipula esses recursos é que dita se a organização terá a tecnologia como uma grande aliada ou será vista apenas como mais um problema ou custo.

Fato é que uma gestão ineficiente da Tecnologia da Informação pode causar prejuízos financeiros irreparáveis, perda completa de todo o conteúdo intelectual, riscos à imagem do negócio ou em casos extremos o fechamento da empresa.

Não é incomum encontrar empresas que tenham gestores de T.I despreparados, que guiem seus analistas de forma a trabalhar apenas “apagando incêndios”. O gestor de T.I deve ter a capacidade de interligar os departamentos e buscar soluções voltadas para as demandas da linha de negócios. Como aumentar os números de prospecção, gerar boas experiências aos clientes e participar do planejamento de projetos de outros setores com contribuições reais.

Uma falha muito comum é não adotar a automação de processos operacionais. Uma plataforma de gestão traz ganho quando executa atividades corriqueiras e repetitivas, liberando as pessoas para tarefas estratégicas.

Outro erro é não cuidar de forma rigorosa dos processos ao gerir informação. Como por exemplo: não testar backups, não ter um plano de restauração e não estar atento as políticas de segurança.

Os dados da empresa são um ativo valioso. Deixar que os colaboradores manipulem pastas e arquivos sem organização, com salvamento local nas máquinas e não no servidor, e sem definição clara de permissões, gera perda de disponibilidade e confidencialidade das informações.

Uma equipe de T.I capacitada trabalha com projeções, gestão de riscos e gestão da continuidade do negócio. Sua empresa precisa de um T.I orientado para a inovação, que pense em segurança, redução de custos e no crescimento do seu negócio? A nossa equipe pode ajudar. Estamos prontos para dar o suporte necessário em seus projetos.